Se você já é geek ou apenas um curioso, a Campus Party é o seu lugar

Tonico Novaes, diretor geral da Campus Party do Brasil, falou exclusivamente sobre o evento ao Glomerado

0
101

No dia 01 de fevereiro, o Glomerado teve a oportunidade de entrevistar Tonico Novaes, diretor geral da Campus Party do Brasil, sobre o evento e tudo que está ligado ao mesmo. Veja agora o que ele nos contou:

  1. Qual é o objetivo do evento?

Bom, o grande objetivo da Campus é inserir jovens de classe baixa em um ambiente de inovação, tecnologia, empreendedorismo, ciência e entretenimento. É realmente democratizar a tecnologia e a inovação. É mostrar para esses jovens que a robótica, o software livre, os programadores, o desenvolvimento tecnológico, pertencem a eles também.

Quando a gente fala em jovens de classe média baixa, principalmente periferia, nós estamos falando de uma competição muito grande, muito desleal com o narcotráfico. Os jovens hoje se perdem num piscar de olhos por conta da falta de informação, dinheiro rápido e possibilidade de obtenção de bens materiais. Mas, quando a gente traz eles para um ambiente como esse, nós temos a oportunidade de competir verdadeiramente com o narcotráfico. Eu acho que esse é o principal legado da Campus Party.

  1. Como surgiu a ideia de criar este evento?

Esse evento existe no Brasil há 10 anos, na Espanha há 20 anos. Eu acho que o jovem hoje ele tem um alto poder de influência em casa. Ele é quem decide pelos pais tudo que tange a tecnologia. Desde o eletrodoméstico, o carro, até o celular, é o jovem que decide quando, onde e qual modelo comprar.

Mas o jovem não tem o poder aquisitivo. O jovem ainda depende dos pais. Então, a gente já identifica isso desde a primeira edição. Eu acho que é uma leitura do mercado, uma leitura do jovem. E a Campus Party é feita para o jovem, independente da idade dele. O jovem pode ter 80 anos, o importante é ele estar aberto ao empreendedorismo, aberto a inovação, querendo mudar, querendo sair da sua zona de conforto.

  1. Quais são as novidades dessa edição?

Esse ano o evento conta com novidades: os temas Blockchain e Cyborg, presentes tanto em palestras quanto em workshops.

Bom, as novidades principais eu acho que são os temas Blockchain e Cyborg. Greg Gage, que veio no primeiro dia, fez cyborgs com baratas vivas e mostrou que as baratas podem até trabalhar para nós. O blockchain é a tecnologia que está por trás das criptomoedas, mas ela é muito mais do que isso. Ela é uma tecnologia que pode desburocratizar nossa vida de uma forma muito inteligente. É um absurdo que hoje, em 2018, você tenha que pegar um pedaço de papel para provar que você é você. Deveria ser um scanner de íris, uma impressão digital, um face ID, ou qualquer outra forma de tecnologia.

  1. Quantas pessoas são esperadas nesta edição?

Olha, a gente está esperando mais de 100 mil pessoas, porque tem a área gratuita, que tem uma circulação muito grande de pessoas. Já na Arena, onde o acesso é restrito, já tivemos em torno de 12 mil pessoas. No camping, a gente tem 8 mil pessoas acampadas.

  1. O que você acha que faz essas pessoas saírem das suas casas para virem acampar aqui?

Olha, é muito difícil te relatar isso em tão pouco tempo, mas eu acho que é esse contato pessoal. Isso é o que torna a relação quente, calorosa para essa troca de experiência que existe entre os campuseiros. Você vem aqui em busca de novos contatos, novos amigos, crescimento pessoal e crescimento profissional. Eles aprendem com as palestras e também passam ensinamentos. As startups recrutam talentos aqui dentro, é a oportunidade deles conseguirem um emprego também. Enfim, tem uma série de possibilidades que os campuseiros conseguem extrair da Campus Party.

  1. Quem você acha que é o palestrante mais aguardado?

O evento tem palestras para agradar todos os geeks

Eu acho que depende. Cada um gosta de um estilo. Greg é mais do segmento de Neurociência e Cyborg. O Don Tapscott vai falar mais de Blockchain. O Caito Maia falou de Empreendedorismo. O Ricardo Cappra fala de Big Data. Depende do que você procura aqui. Aqui acho que a gente agrada todos os geeks.

  1. Mas o evento é apenas para geeks?

Não, é para todos. Se você já é geek, ou se você é apenas um curioso, a Campus Party é o seu lugar.