Resenha: A garota no trem – Paula Hawkins

0
61
A garota no trem - Paula Hawkins
A garota no trem - Paula Hawkins

A garota no trem, é um livro de thriller psicológico muito bem construído. A narrativa é feita em primeira pessoa, porém contada por pontos de vistas diferentes. O primeiro é o da Rachel, depois da Megan e por fim, de Ana.

Inicialmente entramos em contato com a história de Rachel. Uma mulher em torno dos seus trinta anos, divorciada, alcoólatra e com um nível de desequilíbrio emocional alto.  Com o fim de seu casamento, Rachel muda-se para o apartamento de uma amiga a fim de dividir despesas.

No percurso de casa até seu emprego em Londres, a protagonista observa o local  que vivia com seu ex marido Tom e mais a frente “acompanhava” a vida de um casal que imaginava ser perfeita. Rachel se afunda em memórias e nostalgia dentro do trem.

Como se não bastasse todos os problemas que estava passando, Rachel também teve que enfrentar o peso do desemprego por conta do seu vício em álcool.  Sua vida então vira um completo emaranhado de incógnitas, solidão, desespero e omissões.

Na intenção de despistar sua amiga de apartamento. Rachel continuava pegando o trem todos os dias, indo a Londres, bebendo, fantasiando a vida do casal Megan e Scott, e se torturando com pensamentos sobre Tom e sua atual esposa Anna.

Em uma de suas voltas para casa, Rachel vê uma cena diferente da habitual em relação ao casal Megan e Scott. Que pode explicar fatos que ocorreram depois que Megan foi dada como desaparecida.

Rachel se envolve emocionalmente mais do que deveria e decide que precisa fazer algo para descobrir o que aconteceu com Megan. Porém ela acaba descobrindo mais sobre ela mesma.

Rachel – a garota no trem

As primeiras 100 páginas é uma introdução sobre os personagens, então o começo da leitura foi mais lento para mim. Depois disso a história tomou um rumo fluído, pois hipóteses começaram a ser analisadas, fatos enxergados e os temas trabalhados pela autora (alcoolismo, obsessão e adultério) começaram a aparecer.

O alcoolismo é o principal problema que Rachel enfrenta. A bebida serve para ela minimizar ou esquecer os outros infortúnios que ela precisa enfrentar. A autora faz uma descrição bem real de como a bebida aliada à depressão pode levar o ser humano ao fundo do poço.

No tema obsessão podemos ver claramente nos capítulos de  Rachel, Tom e Scott. A protagonista liga várias vezes ao seu ex marido tarde da noite para tentar resgatar desesperadamente a relação que perdeu. Quando associado a bebida sua obsessão a faz realizar algumas ações que são difíceis de se justificar.

O adultério é muito relatado. A autora trabalha um pouco a raiz da insatisfação da mulher dentro do seu relacionamento. Não justificável, mas talvez compreensível.

A garota no trem não tem uma história incrível, mas tem uma narrativa bem conduzida que faz jus a realidade. Coloca em pauta temas complexos, questionamentos a respeito dos valores da sociedade. E choca ao mostrar o quanto as pessoas podem nos enganar e nos manipular através dos nossos próprios sentimentos.

 

Vale ressaltar também que A garota no trem conta com uma adaptação cinematográfica que você pode conferir o trailer aqui. E para você que gosta dessa linha de suspense o glomerado já disponibilizou uma lista de livros incríveis para conhecer.

Título original: A Garota no Trem

Autora: Paula Hawkins

Editora: Record

Nota: