Texugo

0
7

Os texugos pertencem à família Mustelidae, que compreende 59 espécies diferentes, sendo uma das famílias de mamíferos com o maior número de espécies. Os mustelídeos, em geral, são animais de médio e pequeno porte (com menos de 50 kg).

Os texugos são onívoros, ou seja, se alimentam tanto de animais quanto de plantas. Algumas espécies são mais carnívoras que outras, mas todas possuem a onivoria como principal meio alimentar. Os itens consumidos podem incluir: roedores, répteis, anfíbios, aves, coelhos, moluscos, artrópodes, mel, carcaças de animais mortos, ovos.

São animais de pequeno e médio porte, com peso variando de quatro à 18 kg, dependendo da espécie. O texugo-europeu (Meles meles) pode chegar à 30kg, mas somente em alguns períodos.

Texugo é um nome popular para oito espécies pertencentes à família Mustalidae, que são divididos em três subfamílias: Taxidiinae (Taxidea taxus), Mellivorinae (Mellivora capensis) e Melinae (Arctonyx collaris, Arctonyx hoevenii, Arctonyx albogularis, Meles meles, Meles leucurus e Meles anakuma).

Texugo-americano (Taxidea taxus)

Texugo-americano. Foto: Warren Metcalf / Shutterstock.com

O texugo-americano é um animal de aparência “rebaixada”, por ter os membros proporcionalmente curtos em relação ao corpo. A cabeça é larga. A pelagem é cinzenta, com pelos mais longos na região central e membros escuros. Possuim uma máscara negra na região facial e uma listra branca do nariz à parte de trás da cabeça. Ocorre do sudoeste do Canadá até a região central do México.

Texugo-europeu, texugo-asiático e texugo-japonês (Meles meles, Meles leucurus e Meles anakuma)

Essas três espécies eram consideradas a mesma até pouco tempo, mas agora são reconhecidas três espécies diferentes. Estão entre as maiores espécies de texugo. O texugo-europeu pode passar de 30 kg durante o outono, onde eles passam por um período comendo acima da média, provavelmente para acumular energias para o rigoroso inverno europeu. Os texugos do gênero Meles, possuem a maior parte do corpo acinzentada, com membros pretos e a cauda clara, quase branca. A face possui ume distinta máscara negra. A coloração varia pouco entre as espécies, mas em geral segue io padrão acima. Alguns indivíduos de texugos-asiáticos podem apresentar a face completamente escura e alguns de texugo-japonês possuem a máscara facial bem clara.

Ratel ou texugo-do-mel (Mellivora capensis)

Texugo-do-mel. Foto: Vladimir Wrangel / Shutterstock.com

O ratel, ou texugo-do-mel, é uma das espécies de texugo mais conhecidas, principalmente por sua grande valentia (podendo enfrentar leões, leopardos e cães-selvagens-africanos de igual para igual). A pelagem é bem distintita, divididas entre um dorso acinzentado e membros, ventre, laterais do corpo e face negras. A pele é grossa e solta, o que acaba gerando proteção ao texugo contra mordidas de serpentes e picadas de abelhas, bem como outros animais peçonhentos e predadores.

Arctonyx ou texugo-nariz-de-porco (Arctonyx collaris, Arctonyx hoevenii, Arctonyx albogularis )

O texugo-nariz-de-porco, assim chamado pelo nariz volumoso, arredondado e obtuso, assim como um nariz de porco. Acreditava-se que, até pouco tempo, existia apenas uma espécie de texugo-nariz-de-porco, no entanto, atualmente são consideradas três espécies: texugo-nariz-de-porco-da-Sumatra (Arctonyx hoevenii), o texugo-nariz-de-porco-do-Norte (Arctonyx albogulari) e o texugo-nariz-de-porco-grande (Arctonyx collaris). A menor espécie é o texugo-nariz-de-porco-da-Sumatra (4 -8 kg) e a maior é, como o próprio nome diz, o texugo-nariz-de-porco-grande (7-15 kg).

Os texugos-nariz-de-porco são acinzentados na maior parte da pelagem, variando a tonalidade entre as espécies, o pescoço é branco assim como a maior parte da cauda. Possuem uma faixa central branca na região facial.

Referências

Hunter, L. (2019). Carnivores of the world (Vol. 117). Princeton University Press

Long, C. A. (1973). Taxidea taxus. Mammalian Species, (26), 1-4.

Vanderhaar, J. M., & Ten Hwang, Y. (2003). Mellivora capensis. Mammalian Species, 2003(721), 1-8.

The post Texugo appeared first on InfoEscola.